domingo, 1 de setembro de 2013

PROJETO POR UMA ESCOLA MAIS CIDADÃ

 A sociedade brasileira está passando por uma revitalização do exercício de sua cidadania, de maneira muita especial, a partir do mês de junho,quando foi sacudida por inúmeras manifestações de Norte à Sul e de Leste à Oeste do País,  nas quais, as mais diversas reivindicações foram apresentadas (serviços de mais qualidade nos setores de saúde, educação, transporte e habitação), rejeição a PEC 37,etc.
Estas manifestações diferentemente de tantas outras que ocorreram anteriormente, se caracterizaram por não serem coordenadas por nenhum partido ou movimento social organizado  e de ser difícil identificar os seus dirigentes ou líderes, fato que dificultou a interlocução dos governantes (municipal, estadual e federal), com os seus integrantes.
Mas apesar da dificuldade em identificar os seus dirigentes, elas se revelaram positivas, por terem demonstrado que a mobilização popular é o instrumento que pode obrigar nossos governantes a governarem o País, os Estados e os Municípios subordinados aos interesses da sociedade no seu conjunto.
E, nós – professores e alunos, de maneira muito especial - que constituímos os dois segmentos que mais tempo permanecem na escola, precisamos empreender uma profunda reflexão de como nos apropriarmos da energia criada com estas mobilizações e avançarmos rumo à construção de uma sociedade superior e mais fraterna.
Sendo a escola um espaço privilegiado de apropriação e produção do conhecimento, cultura, lazer e cidadania, talvez a única instituição social que pode se dar ao luxo de, todos os dias, nos períodos letivos, reunir por um período, de no mínimo 04 horas, professores e alunos, para juntos, empreenderem reflexões e  ações que resultarão na apropriação das contradições, possibilidades e da pluralidade cultural, política e econômica, presentes na escola e na sociedade. Evidentemente a escola deverá fazê-la visando a construção de políticas públicas que assegurem mais cidadania e qualidade de vida para toda a sociedade.
Para a concretização de tão nobres objetivos é condição imprescindível que a Escola Menodora constitua um movimento permanente de cidadania, promotor de forma coordenada e organizada de debates sobre todos os temas avaliados como relevantes pela comunidade escolar .
Cabe aos professores, coordenadores e diretores, em especial, liderar um processo de discussão, incorporando alunos e pais, com o intuito de identificar as prioridades, dificuldades e temas que devem ser debatidos e convertidos em documentos e posteriormente encaminhados as autoridades municipais, estaduais e nacionais.
É imperioso concomitantemente dar-se grande publicidade a estes documentos junto à comunidade escolar para que esta empreenda, o tempo todo, ações e esforços que resultem no atendimento das reivindicações e sugestões contidas nos mesmos.
Desta forma estaremos contribuindo para a formulação de políticas públicas que venham contemplar aos anseios da comunidade escolar e também da sociedade brasileira.
Bandeiras de lutas sugeridas:

Lutas específicas da escola:

-Provedor de internet: a instalação em nossa escola de um provedor de internet, de grande velocidade que permita, se necessário, acesso rápido a todos os membros da comunidade escolar, não só quando estejam utilizando os computadores de propriedades da mesma, mas também, os seus equipamentos individuais e particulares (tablet, smartfone, etc.). Se adotados na escola, provedores dotados destas características, o livro didático poderá ser substituído pelo tablet ou net book. O Ministério e a Secretaria  Estadual de Educação, ao invés de comprarem livros didáticos, impressos adquirirão estes equipamentos,com acesso à internet. Os alunos, em especial, bem como toda comunidade escolar serão beneficiados em virtude de os mesmos serem mais baratos do que comprar um livro didático para cada disciplina e aluno; pelo fato de os  conteúdos poderem ser estudados com  atualizações em tempo real; finalmente, uma outra grande vantagem, os alunos não serem obrigados a carregar mochilas tão pesadas;
- carteiras mais confortáveis nas salas de aula;
- instalação de aparelhos de ar condicionado em todas as salas de aula;
- troca dos vasos sanitários e concerto das descargas;
- reforma da quadra poliesportiva;
- que os líderes de sala participem nos conselhos de classe;
- oferecimento de aulas em período integral, sendo um período para o ensino regular, isto é, trabalhar o conteúdo programático e o outro período para atividades culturais, desportivas e aulas práticas;

-Uniformes personalizados com o nome da escola para assegurar o ingresso na mesma,  apenas dos alunos nela matriculados.

autonomia escolar: que a Escola tenha autonomia para definir o montante de  recursos necessários para realizar a contento, o seu papel de apropriação e de produção de conhecimento, cultura, lazer e cidadania.
 Atualmente os recursos além de definidos quanto ao seu montante pela Secretaria Estadual ou pelo Ministério da Educação, são repassados para a mesma para o atendimento de finalidades, previamente determinadas pelos órgãos mantenedores. Esta inflexibilidade é a causa de muitos transtornos à Escola, tendo em vista que, às vezes tem dinheiro em caixa para comprar  ou pagar produtos e  serviços, para os quais, num determinado momento não necessita, porém, não pode utilizá-lo para comprar aquilo que realmente necessita.
Reivindicamos autonomia para a própria comunidade escolar orçar o montante de recursos dos quais necessita para organizar o seu fazer pedagógico. Os nossos governantes devem entender de uma vez por todas que cabe a comunidade escolar a discussão e a elaboração do orçamento para o atendimento de suas demandas e necessidades.

gestão escolar democrática e participativa: é imperioso que a comunidade escolar do Menodora aproprie-se do Projeto Político Pedagógico da Escola (PPPE) visando a concretização plena de uma gestão escolar democrática e participativa, (aspectos administrativos e pedagógicos). O PPPE, se houver uma gestão democrática escolar e participativa, permitirá a apropriação e a visualização dos limites, possibilidades, contradições, pluralidade econômica, política e cultural presentes na comunidade escolar. Em fazendo esta apropriação, evidentemente, a Escola  formulará com êxito políticas para a concretização dos seus objetivos

Cultura, esporte e lazer: 
- a Escola Menodora deve constituir equipes permanentes de voleibol, fut-sal, handbol, etc., para representá-la nas competições esportivas; 
- criar um grupo teatral permanente para apresentar-se e a representar em atividades culturais no plano interno e externo; 
- providenciar uma sala de música ambiente, isto é, totalmente equipada com instrumentos musicais (violão, guitarra, piano, bateria, etc;), dotada de professores de música; 
- criar um coletivo permanente de ambientalistas, ao qual, caberá desenvolver ações que levem a comunidade escolar a se preocupar ainda mais com a questão ambiental em nossa escola e no município; 
- criar um coletivo permanente de trânsito, o qual, organizará na escola,  seminários, debates, palestras, vídeos, campanhas educativas sobre o trânsito;
- criar um coletivo que eduque e oriente aos estudantes e demais membros da comunidade escolar para lidar melhor com a sexualidade, coerentes e subordinados aos valores morais, éticos, filosóficos tão caros à sociedade, sem um enfoque preconceituoso ou como algo pecaminoso;
- criar uma coordenação geral e permanente para coordenar os coletivos específicos, bem como promover debates, palestras, produção de vídeos e outros tipos de documentos relacionados aos temas  identificados como relevantes para a Escola.
- reivindicar a compra de um ônibus para a Escola, com o qual, a mesma poderá conduzir os seus alunos para atividades tais como aula de campo, excursões com os alunos;
- reivindicar a compra  de uma carro para que os gestores da Escola possam se deslocar para reuniões, encontros e outros compromissos que o desempenho da função exige. Este veículo é imprescindível para os deslocamentos que os gestores escolares são obrigados a fazer dentro e fora do município  a serviço da escola;

-instituir em nosso calendário cultural  a Festa do Tereré: esta festa deverá ser realizada anualmente no mês de outubro, como parte das atividades relativas ao nosso folclore;

- construção de um auditório: com capacidade para 300 pessoas na escola Menodora. Este espaço se faz necessário para a veiculação da produção cultural, científica e lazer realizada pela Escola ou pela sociedade brasileira.
- implantação do ensino médio em período integral na Escola;
- reivindicar junto a Prefeitura Municipal, a implantação de um sistema iluminação pública rebaixada e ornamental ao redor da Escola Menodora;
- reformulação do projeto arquitetônico da Escola.
Observação: muitos dos objetivos elencados neste documento, exigem que busquemos  parcerias com o poder público e a iniciativa privada, tais como: Prefeitura Municipal, Câmara Municipal, Banco do Brasil, PETROBRAS, Caixa Econômica Federal, Fundação Bradesco, Itaú, etc, como forma de viabilizar o financiamento destas ações.

Lutas gerais:

- coletivo saúde: a Escola Menodora deve organizar debates, palestras, seminários visando contribuir para a construção de políticas públicas para saúde, muito  especialmente, para a gestão do Sistema Único de Saúde em Dourados e no País.
- coletivo de  transporte: propor e reivindicar políticas públicas que melhorem a qualidade dos serviços prestados pelas empresas de transporte e passe livre para os estudantes nos três níveis (fundamental, médio e superior);

Festival Municipal de Bandas Musicais: propor que o município realize anualmente um festival municipal de apresentação de bandas musicais;

REEDIÇÃO DO FEMPOP: que a União Douradense de Estudantes volte a realizar o Festival Estudantil de Música Popular (FEMPOP);
Dia do Estudante: que a União Douradense de Estudantes realize anualmente no dia do estudante várias atividades: palestras, exibição de vídeos, passeatas, documentos a serem entregues as autoridades, contendo as preocupações, reivindicações e propostas dos estudantes douradenses;.
Olimpíadas Estudantis: reivindicar a realização anual das Olimpíadas Estudantis do Município de Dourados;
- Calendário Escolar Comum e Regionalizado: pela elaboração de um calendário escolar unificado e regionalizado do ano letivo, atividades culturais, desportivas e lazer, agrupando escolas pertencentes às redes públicas estadual e municipal, cuja clientela, uma vez concluído o ensino fundamental, tem, via de regra, como destino, a Escola Menodora;
Apropriação dos Espaços Públicos (praças, Estádio Douradão, Ginásio Municipal de Esportes, Centro Desportivo Jorge Antônio Salomão, POLEMS etc.), para atividades culturais, desportivas e lazer pelas Escolas localizadas nos limites geográficos influenciados e que demandam os serviços da Escola Menodora;

.
Estratégia:
Para ser bem sucedida no Projeto Por uma Escola Mais Cidadã, a estratégia a ser utilizada pela Escola é:
- organizar um calendário anual de discussões, debates, palestras, exibição de vídeos, etc., sobre os temas selecionados pela escola como relevantes;
- criar diversos coletivos constituídos por alunos e professores,  e que dividam entre si, quais turmas; cada um destes coletivos ficará responsável pela  condução de discussões e a formulação de propostas relativas aos temas pelos quais ficarem responsáveis;
- redação de um documento final, isto é, das políticas públicas formuladas pela Escola Menodora;
- a coordenação geral e os coletivos específicos deverão realizar assembleias, palestras, exibição de vídeos, etc abertas à participação de todos os segmentos que constituem a comunidade escolar;
- cada um destes coletivos elaborará documentos guias sobre cada um dos temas para qualificar e dar objetividade às discussões;
- o documento final deverá ter sua versão na forma de impressos (livros, jornais ou cartilhas), ser postado no blog e site da Escola e enviado às autoridades constituídas e com competência para atender o rol de reivindicações e sugestões apresentados no mesmo pela comunidade escolar.
Observação 2:
estas discussões, sempre que possível, serão trabalhadas articuladas com os conteúdos de todas as disciplinas constantes nas grades curriculares dos dois níveis de ensino: médio e fundamental. Fazendo esta articulação estaremos assegurando que o processo de apropriação e produção do conhecimento na Escola esteja acontecendo e, ao mesmo tempo, educando a comunidade escolar a instrumentalizar este conhecimento para  o exercício da cidadania;
Observação 3:
- as discussões destes temas, em alguns momentos serão feitas, em dias letivos. Defendemos a tese de que, pensar a escola do Século XXI, é parte integrante e indissociável do Projeto Político Pedagógico da mesma, logo não tem sentido querer obrigar, em especial aos alunos, participarem destes momentos, nos feriado ou finais de semana, sob a alegação de que são atividades estranhas ao conteúdo escolar.













Marcadores:

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial