terça-feira, 13 de novembro de 2012

Fonte: Estas informações foram obtidas no site do Sebrae, veja  endereço eletrônico abaixo:
nhttp://www.sebrae-sc.com.br/ideais/default.asp?vcdtexto=2751&%5E%5E


HISTÓRICO
Por muitos anos mulheres negras em todo o mundo não tiveram opção: na hora de encarar o espelho para se maquiar, eram obrigadas a usar apenas os produtos feitos para a pele branca. Os cabelos crespos também eram tratados com produtos feitos só para mulheres com melenas lisas, não apropriados para domar os cachos, sempre rebeldes. Finalmente nos últimos anos a indústria da beleza `acordou' para esse filão, e começou a lançar vários produtos de linha étnica. O Brasil é conhecido pela beleza de suas mulheres e por sua diversidade de raças. Loiras, ruivas, morenas, orientais, mulatas e negras que estão cada vez mais conscientes de seu potencial e procuram produtos que valorizem sua beleza natural. Esta busca constante e a mudança de hábitos destas consumidoras se reflete nos números do mercado de produtos étnico. Domar os cachos, controlar o volume e mantê-los macios e hidratados não é tarefa fácil. Até pouco tempo atrás, a opção desses milhares de mulheres era alisar os fios com escovas, chapinhas ou alisantes. Afinal, os cabelos lisos estão diretamente ligados ao sonho delas: maciez, brilho e suavidade. Mas hoje já é possível ter cachos lindos e totalmente definidos ¿ o que, aliás, está totalmente na moda. As dicas são simples, mas precisam ser seguidas passo-a-passo se o resultado desejado é ter cabelos hidratados, sem fios arrepiados e ondas definidas. Os cuidados para o tratamento dos cabelos crespos começam com o banho e a temperatura da água, que deve ser sempre morna, pois a água quente abre as cutículas dos fios, aumentando o problema de ressecamento. No final do banho, uma ducha de água fria fecha as cutículas e garante mais brilho aos cabelos. A escolha dos produtos de tratamento também é fundamental. É importante usar bons xampus e condicionadores, desenvolvidos para dar flexibilidade aos cachos. 

MERCADO
O mercado de produtos étnicos de higiene e beleza no Brasil apresentou um crescimento significativo, especialmente no segmento de produtos para cabelos que movimentou em 2001, R$ 1 bilhão e foi responsável por uma produção de 83 mil toneladas. Não é para menos, pois mais de 60% das brasileiras possuem cabelos cacheados, ondulados ou crespos (fonte Sipatesp). Estes tipos de cabelos são naturalmente mais ressecados e opacos do que o liso, pois a oleosidade natural do couro cabeludo (produzida pelas glândulas sebáceas) não é distribuída uniformemente pelos fios. O movimento anelado dos fios e a falta de escovação impedem que a oleosidade chegue até as pontas. Resultado: os cabelos ficam com excesso de volume, ressecados e sem brilho. 
Num mercado concorrido e praticamente saturado como o de cosméticos, investir em produtos étnicos tem sido a saída encontrada por empresários que buscam a expansão de seus empreendimentos. Esse crescimento ganhou força com a exposição desse mercado na mídia. Um exemplo é a revista ¿Raça Brasil¿, voltada para o público negro, que em pouco mais de um ano já comercializa quase 200 mil exemplares/mês, com grande quantidade de anúncios, confirmando o potencial de consumo do público negro, que quer consumir, mas ainda não encontra muitas opções de produtos no Brasil. O segmento de étnicos pode ser entendido também como reflexo da segmentação crescente das linhas de cosméticos, tendência esta que demorou a chegar no Brasil em comparação com outros mercados.
Este segmento está sendo descoberto agora e tende a crescer muito.

ESTUDO
Associação Brasileira de Higiene Pessoal, Cosmética e Perfumaria - o público alvo de consumo do setor é de 80 milhões de pessoas: brasileiros com idade entre 14 e 59 anos, e todas as classes sociais de ambos os sexos e moradores das áreas urbanas. Desse número, 36 milhões são afrodescendentes, demonstrando o potencial de crescimento do mercado. Só o segmento formal de beleza negra deve faturar esse ano a cifra de R$ 320 milhões, um crescimento de 25% em relação a 1999. Neste setor o faturamento do mercado informal, que engloba serviços de cabeleireiros e esteticistas, entre outros, é incalculável. De acordo com a Afrobras - Sociedade afro-brasileira de Desenvolvimento Cultural - a população afrodescendentes do país chega a 48% de total de cidadãos e o Brasil está entre os países de maior concentração de pessoas desta etnia.

CASO DE SUCESSO
A Nazca Cosméticos, por exemplo, vendeu, em 1997, 1 milhão de unidades da linha de produtos para negros, lançada em agosto de 1996, e arrecadou R$3,5 milhões - 20% do faturamento total da empresa. Esse aumento das vendas deve representar um faturamento 34% superior ao do ano passado, somente entre os produtos étnicos. A linha Sphere - com Shampoo, cremes e produtos para tratamento e modelagem de cabelos crespos - começou a ser desenvolvida há três anos, com base em uma pesquisa de mercado em que foi detectada carência de produtos com a qualidade dos produtos importados, porém com preços mais acessíveis. 

TIPOS DE ATIVIDADES
Com o crescimento do mercado, criou-se junto novas atividades voltadas para este mercado, pode-se citar:
- Fabricação de cosméticos;
- Salões de beleza;
- Distribuição e venda de cosméticos.

NOTÍCIAS

Plantas da Amazônia reinam em cosméticos e sabonetes 
Priprioca, andiroba, cumaru, copaíba, preciosa, breu-branco, murumuru... Cada vez surge um ingrediente novo, de nome pouco ou nada familiar, nos potes de cosméticos nacionais. E vai entender por que essas matérias-primas de apelo ecológico vão parar em xampus, perfumes, condicionadores, cremes hidratantes e aromatizadores de ambiente, entre outros produtos. O que há em comum entre todas elas é o local de origem: a Amazônia.
Os ativos da biodiversidade amazônica, extraídos de cascas, folhas, raízes, sementes ou frutos, têm sido cada vez mais explorados pelas indústrias de cosméticos. Hoje as maiores empresas brasileiras já possuem suas linhas de produtos "amazônicos".
O potencial da biodiversidade da floresta é enorme. Estudo da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus) e da Abhipec (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) identificou, entre as mais de 200 mil espécies de plantas da Amazônia, que 120 podem ter aplicação imediata na área cosmética. Mas pouco mais de 20 são usadas, diz o engenheiro químico Artur Gradin, que coordenou o estudo.
A Natura impulsionou o crescimento desse mercado com o lançamento, há três anos, da linha Ekos. Mas muito antes disso, dez anos atrás, a gigante rede inglesa The Body Shop já incluía na sua linha de cosméticos a castanha-do-pará. Aliás, quem já usou sabe como o óleo extraído dessa semente funciona bem no creme hidratante.
E, para deixar o cabelo macio, é indicada manteiga de cacau --no xampu, claro. 
Fonte.: Folha de S.Paulo - CRISTINA CAROLA - 21/08/2003 

¿A Wella desenvolveu a linha Wellapon Cacheados, fórmula que traz o exclusivo Complexo Hidratante, composto por Cristais de Silicone (reduzem e controlam o volume), Vitamina E (nutre e hidrata os fios) e Extrato de Calêndula (com propriedades emolientes, cicatrizantes e suavizantes, que trata e amacia a fibra capilar). Estes ativos combinados tratam profundamente os cabelos, restaurando o equilíbrio natural dos fios e deixando-os mais saudáveis, hidratados e brilhantes. A linha é composta de xampu, condicionador, creme hidratante (para massagens e hidratações profundas) e creme sem enxágüe (produto leave-in que dá brilho e controla o volume). Também da Wella na linha System Professional, produtos como o Curl Saver Line trazem ao cabelo ondulado natural uma flexibilidade extraordinária e elasticidade natural. Formulado com ElaSwing, composto de polímeros elásticos e substâncias de tratamento, o produto aumenta a elasticidade do cabelo ao criar uma película elástica em torno de cada um dos fios. A linha Curl Saver é composta de Shampoo e mousse. 
Conceitos naturais estão mais e mais presentes em produtos cosméticos no mercado brasileiro, como na linha Seda Keraforce da Unilever. Elaborada com o exclusivo complexo Kerobá®. Extraído de frutas da Amazônia, ricas em proteínas e vitaminas, e o óleo de silicone, que forma uma película sobre todo o fio de cabelo, fechando a cutícula (camada mais externa) e protegendo as regiões danificadas. Seda Keraforce oferece força, saúde e hidratação para os cabelos crespos e quimicamente tratados. A linha é formada por shampoo, condicionador, creme para pentear e creme de hidratação. 
O Boticário também aposta no segmento de produtos étnicos e recentemente lançou produtos específicos para os cabelos cacheados. A nova Linha Universal Cabelos Cacheados é composta por shampoo, condicionador e creme sem enxágüe. Os produtos têm formulações ricas em ingredientes hidratantes e naturais como as proteínas de avelã , os ácidos de frutas e o silicone, que definem os cachos e deixam os cabelos macios, brilhantes e com menos volume. A fragrância é moderna, com notas frutadas¿ e a formulação cremosa dos novos produtos protege os fios e proporciona brilho e maciez aos cabelos cacheados. 
Outros tipos de produtos étnicos como maquiagem, tratamento de pele, e até mesmo produtos para higiene ganham espaço de mercado. Rodolfo Melo, gerente de Marketing de O Boticário comenta: ¿O Boticário é uma empresa que tem como princípio a valorização do ser humano, independente da raça. Temos hoje uma linha de maquiagem com uma grande gama de cores, que atende a todos os públicos. Quando escolhemos um determinado look sempre procuramos desenvolver produtos que combinem com todas as raças e por isso temos uma linha bastante extensa. A campanha de maquiagem sempre trabalha mostrando nossos produtos em pessoas com diferentes cores (brancas, morenas, negras). Além disso, temos uma linha específica para cabelos cacheados, que também foi desenvolvida pensando no público com cabelos mais secos, a maioria do público brasileiro¿.
Com esta inovação, Lux, líder do mercado brasileiro de sabonetes, torna-se a primeira grande marca da categoria a oferecer um produto especialmente elaborado para cuidar das peles morena e negra, dentro do conceito de que o tratamento diário de beleza começa durante o banho. Foram dois anos de estudos realizados por Lux para entender as peles morena e negra. Verificou-se que elas possuem uma aparência mais firme e jovem, entretanto, são mais sensíveis ao ressecamento, apresentando áreas esbranquiçadas que necessitam de cuidados especiais. A cor e a aparência do sabonete se diferenciam no novo produto, que tem tonalidade dourada perolizada, resultado de um processo avançado de produção. Foi aplicada tecnologia especial na embalagem do sabonete, com utilização de uma substância metalizada, que proporciona efeito dourado e brilhante, com tonalidades entre o bronze, o marrom e o cobre.¿
Fonte.: SITE. http://www.happi.com/LatinAmerica/Portuguese/Fall02P2.htm . Texto de Renata Ashcare. Acessado em 25 de agosto 2003.

Marcadores:

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial